O início

Hoje, 15 de junho de 2015, começo esse blog.

Dei o nome de “Meu Diário da Fé” porque tenho costume de escrever diários (que acabam sendo “mensários” ou “semestrários”) contando as novidades da minha vida, minhas preocupações, medos e anseios. E, nestes diários, muitas vezes conto milagres e bênçãos que Deus me concedeu. Escrevo para nunca esquecer o que passei, o que pedi e o que recebi.

Primeiro, vou fazer um breve relato da minha vida cristã (aquelas que se apresenta).

Há 31 anos sou evangélica. Cristã Batista. Não sou ligada a especificamente nenhuma Igreja Batista, revezo a ida aos cultos em duas igrejas, na cidade onde moro.

Passei grande parte da minha infância e adolescência na igreja Assembléia de Deus, por influência dos meus pais. Meu relacionamento com Deus era na base do medo, porque eu achava que Deus era um Senhor pronto para me castigar a qualquer burrada que eu fizesse. Não podia usar calça comprida, cortar cabelo, ver futebol (VASCOOO), usar batom, pintar as unhas. Qualquer deslize era punido com a suspensão, e, continuando com o “pecado”, a exclusão da igreja.

Eu cometia um grave delito: cortava minha franja. Estava com 14 anos, queria ser moderninha né? Já me vestia como uma idosa e era uma mocoronga despida de vaidade. A franja me deixava bonitinha… mas me trazia sérios problemas na igreja.

Era assim:

– cortava a franja, era suspensa

– passava um mês, pedia perdão (tinha que ir no altar da igreja durante o culto pedir perdão a todos)

– os irmãos me perdoavam, ouvia um “vai e não peques mais”, e tava perdoada. Podia de novo tomar a ceia

– a franja crescia, cortava a franja, era suspensa

– passava um mês…

E foi assim minha adolescência.Meu relacionamento com Deus era na base do medo. Eu quase não orava, e quando orava o fazia com tanta cerimônia que parecia falar com um capitão do exército.

Nunca me identifiquei com a Assembléia e aos 19 anos, assim que consegui (consegui ser excluída, no caso), saí de lá. Recomecei na Batista, me batizei novamente. E foi assim que minha experiência de intimidade e oração com Deus começou.

Não sou, vamos dizer… uma evangélica “normal”. Ouço rock. Uso calça comprida. Falo bobagens. Gosto de vinho seco. Sou “meio louca”, como muitos gostam de dizer. Mas de uma coisa tenho certeza: sei que Deus me ama, e sua misericórdia é infinita. Sei que sou mais cristã não sendo uma crente convencional do que muitos que pregam por aí, mas não vivem o amor de Jesus para com o irmão. Porque aqueles mesmos irmãos que me diziam “vai e não peques mais” fizeram coisas piores que cortar a franja do cabelo, tempos depois.

Então enfim… pra quê este blog?

Entre meus amigos, sou sempre aquela que é procurada para pedir oração. Mesmo sendo do jeito que sou, mesmo não sendo uma pessoa que posta versículos todos os dias no Facebook, mesmo não falando em línguas. Muitas vezes fiz campanhas de oração por causas perdidas de amigos, e Deus os abençoou. Empregos, relacionamentos, problemas familiares… exercitava minha fé e pedia ao Senhor que mostrasse àquela pessoa que Ele era Deus na minha vida.

Nas igrejas pentecostais (e também nas tradicionais, algumas vezes), quando alguém passa por um problema ou deseja uma vitória, costuma procurar irmãs de oração preparadas para orar pelas pessoas. Vão até elas, ajoelham e elas oram. Geralmente acontece uma “revelação”, uma “profecia”. Nestes casos, a pessoa sai de lá cheia de fé, porque tem certeza de que Deus está fazendo algo. Eu mesma vivi essa experiência várias vezes.

Essa postura, tanto de amigos que me pedem para orar por algo específico, quanto de pessoas que vão até irmãos de oração pedir para orar por seus problemas, sempre me incomodou. Deixei de procurar esse tipo de oração, mesmo quando me sinto fraca para orar. Porque meu pensamento é o seguinte: porque NÓS mesmos não buscamos ao Senhor, colocando diante dele nossos anseios e angústias? E quando não temos a quem buscar? E quando vamos em irmãs de oração e saímos sem uma palavra de Deus sequer? Nossa fé acaba ali porque “Deus não quis falar”?

Veja bem. É uma situação diferente quando irmãos se reunem para orar para um mesmo propósito! Falo de quando colocamos nas bocas e joelhos de outras pessoas a responsabilidade de pedir a Deus pelo que tanto queremos.

A Bíblia diz em Mateus 21, versículo 22: “E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis”.

Este blog é para isso. Realizar propósitos de oração, meus e de outras pessoas. Ver testemunhos de fé que possam encorajar pessoas a buscarem a Deus, com suas próprias forças, onde quer que estejam e na igreja que quiserem. Incentivar a busca pela oração, a intimidade com Deus, o milagre de Deus na vida de cada pessoa.

Também criei esse blog por causa de uma cobrança interna que trago há muito tempo. Sempre ouvi das irmãs de oração a frase: “Deus tem uma obra na sua vida”. Aliás, acho que a maioria das pessoas já ouviu essa frase. Mas… eu não sou ninguém! Não sou uma evangélica exemplar. Sou a mais falha de todas. Não sou um modelo de “crente”. Porém, um testemunho eu tenho a dar: todas as vezes que dobrei meus joelhos, orei de madrugada e fiz um propósito com Deus, Ele me atendeu. Ele abriu caminhos que antes pareciam impossíveis, e fez milagres! E em troca de tudo que Deus tem feito, preciso dar algo em troca. Espero que esse blog ajude muitas pessoas a encontrarem aquele tiquinho de fé que ainda resta, e buscar ao Senhor.

Estamos vivendo tempos terríveis. O mundo está de mal a pior e as profecias estão se cumprindo: o amor entre as pessoas está acabando. Mas a Palavra de Deus nos dá esperança! Nossa eternidade não é nesse mundo, porém, enquanto vivermos nele, temos que viver em vitória, no nome de Jesus. E temos que viver em amor, amando uns aos outros, agindo como Cristo agia: ajudando e não julgando, apoiando e não derrubando.

Então, você que de alguma forma chegou até aqui: erga sua cabeça! Passe o que estiver passando, acredite que sua fé, por mais minúscula que seja, te levará ao lugar que você precisa chegar. É só você ACREDITAR.

Comecei uma Campanha de Oração em 05/06 por uma causa praticamente impossível, diante do cenário que este país está passando. Sim, tem a ver com minha vida profissional. Essa Campanha de Oração consiste em orar 07 vezes ao dia pelo desejo do meu coração. Em todas as orações, recito o Salmo 38.

Essa Campanha de Oração termina dia 05/07. E vou continuar com o blog se meu propósito for atendido, para que meu testemunho fortaleça a fé das demais pessoas.

Em nome de Jesus, amém!

🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s